s Free xml sitemap generator

Quem somos


A CAL - Câmara Agrícola Lusófona, é uma associação empresarial sem fins lucrativos que promove a divulgação do agronegócio em território nacional e internacional com particular ênfase nos países de língua portuguesa, nomeadamente Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.
A CAL é uma plataforma que permite às organizações e às empresas estabelecerem parcerias para promover a internacionalização, a inovação e o empreendedorismo. Trata-se de uma entidade reconhecida pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, pelo Ministério da Economia, pelo Ministério da Agricultura e do Mar e pela CPLP- Comunidade de Países Língua Oficial Portuguesa.


A CAL é membro da Confederação Empresarial da CPLP e exerce o secretariado provisório do Mecanismo de Facilitação da Participação do Setor Privado no Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.



Contextualização


“A dinamização do agronegócio na CPLP”

A realidade do sector agroalimentar, dentro dos países da CPLP, necessita dum debate sério, pragmático e construtivo por parte dos seus principais actores: empresários, líderes associativos ou financeiros e responsáveis políticos; por forma a reforçar o seu papel e sua contribuição para o desenvolvimento económico da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. É neste quadro que surge o «Agrofórum» da CPLP, o único fórum da área apoiado quer pela CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, quer pela CE-CPLP – Confederação Empresarial da CPLP. Sob o lema “dinamizar o agronegócio na CPLP”, tem como objectivo destacar as oportunidades no agronegócio nos países do espaço lusófono, motivando os agentes do sector através da demonstração do «saber de experiências feito». E construir um Mecanismo para Facilitação da Participação do Setor Privado no Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da CPLP e na implementação da Estratégia de Segurança Alimentar e Nutricional da Comunidade.

Neste contexto, surge a parceria com a CAL - Câmara Agrícola Lusófona e os Altos Patrocínios da Presidência da República, do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural de Portugal e do Secretariado Executivo da CPLP.
A presença de mais de 1200 empresários de todo espaço da CPLP, Ministros da Agricultura, Ministros do Comércio, Embaixadores, líderes e gestores de empresas, instituições nacionais e internacionais e grupos económicos farão deste fórum uma iniciativa única.
O agronegócio, num espaço geográfico tão vasto como da CPLP, tem necessariamente características muito variadas, nem que fosse só por causa da diversidade socio-agroclimática. De facto, coexistem realidades abrangendo todo o espectro possível de modelos de exploração, desde a agricultura familiar de subsistência, onde a prioridade é a segurança alimentar de cada família ou comunidade local, e a agricultura industrial de grande escala, visando abastecer o mercado mundial, passando por todas as cambiantes intermédias. Por outro lado, há também muito potencial de crescimento, ou através da elevação de empresas existentes a patamares superiores em termos tecnológicos, de comercialização ou de gestão, ou através da exploração sustentável de terras que, actualmente, não estão a ser aproveitadas para a agricultura.
A CPLP é, portanto, um espaço supranacional em que o agronegócio assume características muito diferentes, não só de país para país, mas de região para região. Esta diversidade mas também os pontos comuns, deve ser tidos em conta na formulação de estratégias para o desenvolvimento da nossa comunidade. Diante desta realidade, consideramos importante promover o debate sobre as possibilidades de dinamização do agronegócio dentro da CPLP. A realização deste fórum constitui, por um lado, um primeiro passo nesta perspectiva e, por outro, um estimulo quer às inter-relações dos países da CPLP, quer às interacções com outros, que olhem para Portugal como plataforma de entrada na CPLP.

O sector agroalimentar é estratégico e prioritário para a CPLP, existindo muitas oportunidades de investimento e de criação de valor, que, sendo ainda pouco exploradas, merecem ser discutidas e evidenciadas. Pretendemos, assim, proporcionar, a empresários, líderes e dirigentes associativos, uma plataforma de troca de experiências, de conhecimentos, de demonstração de resultados, para chegar a soluções concretas e exequíveis. Ao mesmo tempo e tendo presente a Estratégia de Segurança Alimentar e Nutricional da Comunidade e a existência de uma plataforma multi-actores para a sua implementação (CONSAN- CPLP), pretendemos também, dar passos sólidos na dinamização de um mecanismo de facilitação da participação do sector privado na implementação dessa Estratégia.

O 1º Agrofórum da CPLP visa estimular o debate sobre as oportunidades de desenvolvimento do agronegócio e sua contribuição para a erradicação da fome nos países lusófonos.



Programa

28 de Outubro


8h15- Acreditação dos participantes
8h30- Chegada dos Convidados de Honra
8h45- Sessão de Abertura

Apresentação: José Medina Lobato Secretário-Geral da CE-CPLP

Convidados de Honra

Ministro da Agricultura Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos

Secretário Executivo da CPLP, Embaixador Murade Murargy

Presidente da Fundação AIP, Rocha de Matos

Presidente da CAL, Jorge Correia Santos

Presidente da CE-CPLP, Salimo Abdula


9h00- Palestra principal

⦿ Kapil Kapoor Banco Africano para o Desenvolvimento

⦿ Ana Saez, Representante de la FAO, Divisão de Parcerias, Promoção Institucional y Desenvolvimento de Capacidades


9h30- 1ª Conferência: O Potencial do Agronegócio na CPLP

⦿ Hélder Muteia, FAO O papel das leguminosas no desenvolvimento agroalimentar na CPLP

⦿ Aldina Fernandes, Confagri A importância do cooperativismo no Agronegócio da CPLP

⦿ José Pinheiro, MCM Um consórcio na produção de algodão em Moçambique

⦿ Mario Seixas, Embrapa Um gigante na investigação agropecuária ao serviço da CPLP

⦿ José Cortez Pereira, Agripalma O Potencial do óleo de palma em São Tomé

⦿ Ana Soeiro, Qualifica A importância das Indicações Geográficas de produtos alimentares tradicionais da CPLP na conquista de novos nichos de mercado.

⦿ Carlos Coelho, Ivity Brand A importância das marcas no agro-alimentar

Moderador: Celso Filipe Jornal de Negócios

Debate


10h50- Pausa para café

11h00- 2ª Conferência: A Importância da Iniciativa Privada no Desenvolvimento da CPLP

⦿ Duarte Faria, FRULACT Internacionalizar a indústria dos preparados de fruta em África

⦿ João Macedo, AGROLIDER Um projecto líder em Angola na produção hortofrutícola e pecuária

⦿ João Cannas da Silva, ULHT Angola um gigante adormecido na agropecuária

⦿ Luiz Cornacchioni,ABAG A importância do agronegócio na CPLP e o papel do Brasil enquanto líder na produção e no saber-fazer

⦿ Amihaz Lustig, LR Group Apoiando o desenvolvimento do agronegócio em África

⦿ Agnelo Gomes, Gomes & Gomes - Guiné-Bissau Comercialização versus industrialização da Fileira do Cajú na Guiné-Bissau

Moderador: Filipe Morais Chefe de Redação-Adjunto do Dinheiro Vivo

Debate


13h00- Almoço

14h00- 3ª Conferência: Oportunidades e Constrangimentos na CPLP

⦿ Martins da Cruz, Ex-Ministro dos Negócios Estrangeiros Mobilidade de pessoas, bens, serviços e capitais na CPLP

⦿ Joana Bravo, SOFID InvestimoZ no apoio a projetos em Moçambique

⦿ Pedro Alves, CAL Um retrato do comércio agroalimentar da CPLP

⦿ Pedro Jorge Silva, Presidente da ADAPI O Potencial da Indústria de pesca nos Palop versus zonas económicas exclusivas

Moderador: Ana Ramos TSF

Debate


15h50- Pausa para café

16h10- 4ª Conferência: Empreendedorismo, Marketing e Financiamento – Novas Abordagens e Soluções

⦿ José Fernando de Figueiredo, IFD Instrumentos de Financiamento de projectos

⦿ Luis Mira Amaral, Fórum para Competitividade Os desafios do «project finance» no contexto da CPLP

⦿ Filipe Ravara Caixa Geral de Depósitos Instrumentos financeiros do Grupo CGD

⦿ António Souto, Presidente da GAPI Novos modelos de financiamento no desenvolvimento agro-alimentar

Moderador: Isabel Martins Vida Rural

Debate


17h30- Sessão de Encerramento – Convidados de Honra

Secretário Executivo da CPLP, Embaixador Murade Murargy

Ministério da Agricultura da Guiné Equatorial, Miguel Mba Nzang

Presidente da CE-CPLP, Salimo Abdula

Presidente da CAL, Jorge Santos


18h15- Assinatura de protocolos institucionais e Apresentação da Declaração Final do Fórum
18h30- Bolsa de Contactos
18h45- Conferência de Imprensa, Degustação de Especialidades e Mostra Espaço Agro-Lusófono

Salas Temáticas


Horário das Salas Temáticas
10h30 – 11h30 ⦿ Sala Temática de Portugal
10h30 – 11h30 ⦿ Sala Temática de Angola
12h00 – 13h00 ⦿ Sala Temática de Cabo Verde
12h00 – 13h00 ⦿ Sala Temática da Guiné-Bissau
14h30 – 15h30 ⦿ Sala Temática de Moçambique
14h30 – 15h30 ⦿ Sala Temática da Guiné-Equatorial
16h00 – 17h00 ⦿ Sala Temática de São Tomé e Príncipe

Convidados de Honra


Luís Capoulas Santos
Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural
Embaixador Murade Murargy
Secretário Executivo da CPLP
Jorge Correia Santos
Presidente da CAL
Salimo Abdula
Presidente da CE-CPLP
Ana Saez
Consultora internacional na FAO
Kapil Kapoor
Banco Africano para o Desenvolvimento
Rocha de Matos
Presidente da Fundação AIP
José Medina Lobato
Secretário-Geral da CE-CPLP

Oradores


Martins da Cruz
Francisco Silva
Hélder Muteia
José Pinheiro
Mario Seixas
José Cortez Pereira
Ana Soeiro
Celso Filipe
Duarte Faria
João Macedo
João Cannas da Silva
Luiz Cornacchioni
Isabel Martins
Mariola Bindang Obiang
Peter Andreas Gouws
Pedro Alves
Joana Bravo
Pedro Jorge Silva
Agnelo Gomes
Luis Mira Amaral
António Souto
Amihaz Lustig
José Fernando de Figueiredo
Carlos Coelho
Filipe Morais
Waldemir Loto
Filipe Ravara
Ana Ramos





Apresentação da Comissão Agroalimentar da CE-CPLP


Objectivo específico – Propor soluções, novas abordagens e compromissos no seio da Confederação Empresarial da CPLP, através da oficialização do mandato da nova Comissão Agroalimentar da CE-CPLP, sob liderança da CAL, com a apresentação dos seus elementos.

Pós-evento


0
Participantes
0

Organizações
da sociedade civil

0

Países
presentes

0

Empresários
provenientes dos PALOP’s

0

Intervenções
de especialistas

0

Instituições
financeiras internacionais e regionais

A primeira edição do Agrofórum reuniu durante três dias em Lisboa, um grande número de executivos e de especialistas das áreas do agronegócio nos países lusófonos.


Veja a revista completa do Agrofórum2016



Evento

No dia 28 de Outubro, na FIL contemplando 4 painéis, ocorreram 32 intervenções de especialistas sobre temas inovadores no agronegócio bem como sessões sobre oportunidades de negócio nos diversos países lusófonos. Neste último dia estiveram reunidos mais de 600 participantes provenientes de 33 países.


Expositores dos Países Lusófonos

Dado o objectivo primordial do Agrofórum em divulgar projectos e de estabelecer relações entre os diversos países pertencentes ao universo lusófono, estiveram reunidos expositores de seis países – Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique e São Tomé e Príncipe. A presença das delegações da CAL destes países constituiu-se como uma mais-valia competitiva, uma vez que estimularam o reconhecimento e a valorização dos produtos e dos serviços de origem lusófona.


Protocolos

Miranda & Associados - Na qualidade de “Parceiro Jurídico” passará a disponibilizar serviços qualificados às empresas associadas da CAL.
Qualifica - Criação de uma agência que resultou de um protocolo entre a CAL e a Qualifica garantindo a qualificação de produtos agro-alimentares lusófonos.
Caixa Geral de Depósitos - A CGD e a CAL assinaram um protocolo permitirá aos membros associados da CAL o acesso a condições especiais dos serviços bancários.


Comissão Agroalimentar

Criação da Comissão Especializada de Agricultura da Confederação Empresarial da CPLP
Dada a necessidade de dinamizar o sector agrícola, foi criada a Comissão Especializada de Agricultura da Confederação Empresarial da CPLP – CE-CPLP. Os nove países da CPLP - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste – com a colaboração e o apoio das entidades e instituições estratégicas da CE-CPLP


1ª Conferência
“O Potencial do Agronegócio na CPLP”

Objectivo específico – A primeira sessão teve por objectivo identificar o potencial do agronegócio na CPLP, realçando o contexto institucional propício à valorização das fileiras. O objectivo foi abordado nos vários níveis, no âmbito da produção e transformação agro-alimentar com as comunicações de José Pinheiro da MCM e José Pereira da Agripalma, respectivamente sobre a reorganização das fileiras do algodão em Moçambique e óleo de palma em São Tomé e Príncipe. No âmbito da distribuição, a apresentação de Hélder Muteia da FAO destacou a oportunidade do mercado global de leguminosas; Carlos Coelho da Ivity Brand Corp e Ana Soeiro da Qualifica desenvolveram o tema da valorização da produção, através da criação de marcas e da certificação geográfica de qualidade, respectivamente. Finalmente, abrangendo os três âmbitos do agronegócio, as comunicações de Mário Seixas da EMBRAPA e Aldina Fernandes da CONFAGRI realçaram a relevância da integração das necessidades específicas de cada contexto agrícola na investigação e nas estratégias de investimento.

2ª Conferência
“A Importância da Iniciativa Privada no Desenvolvimento da CPLP”

Objectivo específico – Na segunda sessão do Agrofórum apresentaram-se casos práticos de dinamização do agronegócio na CPLP. Estes casos incluem exemplos de investimento português em vários países fora da comunidade, como é o caso da Frulact no fabrico de preparados de fruta para a indústria de lacticínios; casos de investimento de terceiros em países da CPLP, como é o caso da LR Group no desenvolvimento de complexos agro-industriais em Angola; e casos de investimento de países da CPLP noutros países da CPLP como são os casos da AGROLIDER no desenvolvimento agro-alimentar e logístico em Angola, e da Gomes & Gomes no desenvolvimento da fileira de castanha de caju na Guiné Bissau. A comunicação do Prof. João Cannas da Silva sobre o potencial da produção animal em Angola deu ainda destaque à importância dos recursos aí existentes e à oportunidade de desenvolvimento dessa fileira.

3ª Conferência
“Oportunidades e Constrangimentos na CPLP”

Objectivo específico –Na terceira sessão foram analisadas as oportunidades e os constrangimentos do agronegócio na CPLP. As comunicações incidiram sobre as propostas de solução concretas para os constrangimentos identificados, assim: para a descontinuidade geográfica da comunidade CPLP são propostas etapas para o desenvolvimento duma união económica que potencie a livre circulação de pessoas, bens e investimento; para o constrangimento de falta de acesso ao crédito local, a sociedade financeira SOFID propõe várias modalidades de participação nos projectos através de capital de risco; para o desenvolvimento do mercado agro-alimentar a CAL propõe o investimento nas complementaridades entre países da CPLP e entre agricultura e agro-indústria; finalmente, para o constrangimento legal no sector das pescas a ADAPI propõe a construção de competências e capacidade nos países detentores dos recursos pesqueiros para uma melhor negociação dos acordos internacionais que regulam a pesca.

4ª Conferência
“Empreendedorismo, Marketing e Financiamento – Novas Abordagens e Soluções”

Objectivo específico – O objectivo da última sessão foi o de divulgar instrumentos e estratégias de financiamento disponíveis para projectos no âmbito do sector agroalimentar no espaço da CPLP. Os instrumentos financeiros participados por entidades públicas, mas dirigidos às reais necessidades do sector privado são aqueles que melhores resultados têm obtido. A comunicação de Mira Amaral salientou essa importância, Filipe Ravara da Caixa Geral de Depósitos apresentou a elevada representação deste banco na CPLP, finalmente António Souto da GAPI destacou o papel das finanças na gestão de projectos de investimento.


Visitas técnicas

Foram organizadas visitas técnicas a sete empresas portuguesas do sector agro-alimentar localizadas na Região Oeste de Portugal, com a presença de 70 empresários provenientes dos PALOP’s.
Estas foram visitas que reforçaram o impacto e relevância em termos de envolvimento dos países lusófonos no âmbito do agronegócio e respectivo estabelecimento de parcerias.

Local

FIL - Grande auditório Parque das Nações, Lisboa




Situada no Parque das Nações, antiga EXPO 98, a FIL estende-se por uma área global de cerca de 100.000m2 dos quais 43.000m2 constituem a área coberta exposicional. A FIL está dividida em 4 pavilhões, cada um com 10.368m2 e equipados com ar condicionado, sistema de detecção de fogo e fumo, marcos de incêndio e portas de emergência. A FIL dispõe de dois acessos do exterior às áreas exposicionais: a Entrada Norte, ao lado da Praça SONY, e a Entrada Sul, ao lado do Pavilhão Atlântico, mais conhecida como o Grande Hall. Cada uma das entradas possui balcões para a credenciação, existindo no Grande Hall ainda o Gabinete de Apoio e a Loja do Expositor da FIL, a Tesouraria da FIL, o Balcão da Rádio Táxi e o Posto de Socorros. Faz parte deste complexo também uma área pedonal no sentido longitudinal, em frente aos topos de cada pavilhão com cerca de 320m, tendo por cima uma passadeira rolante donde saem de entre os Pavilhões 1 e 2 e 3 e 4 um conjunto de escadas rolantes. Cada pavilhão tem uma entrada individual o que permite a realização de até 4 eventos em simultâneo.
A FIL é o maior e mais moderno parque de feiras em Portugal.